Adoro o Inverno mas, de facto, já sinto falta do sol e do calor pelas costas nas horas de pausa da faculdade. Sinto falta de ver cor por aqui e por ali. Sinto falta dos gelados Haagen Daz que tão bem me sabem em dias que parecem não ter fim. Sinto falta da blusa leve sobre os ombros ou até dos dias em que os trago despidos.
Desde criança que ouço dizer "Depois da tempestade vem a bonança." e cada vez tenho mais certezas disso. Por estes dias não só o frio tinha estado presente como também as nuvens na minha vida mas, como se de um milagre se tratasse, de repente, o tempo aqueceu e também eu pude voltar a sorrir. Há dias que nos roubam a alma fazendo de nós escravos deste ciclo pelo qual passamos e queremos deixar a nossa marca acabando, muitas vezes, por sermos nós marcados por ele - talvez, até, de forma permanente.
Depois de dias mais chuvosos o sol voltou a espreitar e, apesar do frio também se ter feito sentir, este domingo convidou-me a um passeio pelas ruas da cidade onde nasci e sempre morei. Às vezes gostava muito de ter uma caravana e poder mudar de cidade de mês a mês - outras, nem tanto - e hoje foi uma dessas vezes. Saí. De sorriso no rosto e memórias (passadas) presentes. De olhar distante mas de coração cheio. Saí. Repleta de saudades do que ainda não aconteceu e ansiosa pelo que já passou como se, um dia, pudesse lá voltar. Saí. De desânimo vencido - mas latente. De luto e de festa. De desasossegos despertos. De sonhos adormecidos.
Adoro o inverno - a chuva; os céus cinzentos; os nevoeiros; as poças de água; as gotinhas que ficam, cintilantes, nos ramos das árvores; a neve, casta como outrora, em crianças, foramos; o frio que nos permite usufruir de tardes à lareira, de abraços mornos, de chás quentes; e claro, das noites longas, chegadas precocemente. Gosto da sua elegância; das roupas pesadas e quentes que nos faz transportar; do romantismo que carrega em si - os beijos à chuva, o contemplar de um luar em frente a uma fogueira, o aconchego de um amor que divide a mesma cama connosco. 
Foi um bocadinho difícil escolher uma cor que me fizesse lembrar Fevereiro mas, apesar das muitas dúvidas, acabei por me decidir pelo verde esmeralda. Tod@s concordamos que cores como o preto, o branco, o burgundy, os beges, fazem parte da lista de cores mais elegantes mas temos de admitir que o verde esmeralda também merece um lugar nessa lista. Bem conjugado, é uma cor que assenta bem a quase toda a gente e, por ser pouco usada, dá-nos aquele ar mais arrojado com um je ne sais quoi de ousadia. O meu armário é composto essencialmente de básicos pretos e apesar de achar que é uma cor insubstituível ando a tentar introduzir-lhe um bocadinho de cor. Este Fevereiro quero ver se uso os oxford shoes, nesta mesma cor, que tenho guardados no armário desde o ano passado. Será que é desta?
E vocês, são fãs desta cor?