«Se eu te pedisse em casamento, aceitavas?»


Num destes dias, perguntou-me o meu namorado "Se eu te pedisse em casamento, aceitavas?" e desde logo eu soube a resposta a esta pergunta. Não perdi dois minutos até lhe dizer "Sabes que sim. Desde que não fosse por obrigação". E é verdade. As razões pelas quais vejo pessoas casar levam-me a pensar que são elas próprias as responsáveis pela sua tristeza anos mais tarde. E isso, honestamente, dá-me cabo do juízo.

WHAT A BARGAIN!


Quer queiramos quer não, aquilo que vestimos diz muito de nós. Não nos define, não nos permite passar a ter um rótulo específico e definido mas diz muito acerca da nossa personalidade e, para ser sincera, nos últimos meses sentia que estava a perder um pouco da que havia trazido aqui para o blog em 2015. Isto levou-me a sentir falta de fazer o que já não fazia desde os saldos de inverno de 2015/2016: investir em roupas boas, novas, bonitas, de acordo com a minha personalidade, vibe e estilo de vida. Aproveitando a época de saldos, consegui fazê-lo.
Tenho ido ao shopping duas vezes por semana para estar sempre a par de novas peças que possam aparecer e de preços que, entretanto, possam ter sofrido nova baixa e tem valido muito a pena. Nestes saldos já consegui quase remodelar todo o meu armário de verão apenas com peças entre cinco e dez euros - esta, que vos mostro hoje, custou oito. Acho que há muito tempo que não me sentia tão bem, tão contente. No fundo, renovarmos o nosso armário com preços tão baixos é algo que nos renova também. Faz-nos bem. Deixa-nos felizes. Aumenta-nos a auto-estima. E acho que estas fotos refletem isso mesmo - leveza, frescura, felicidade, amor próprio. Digam o que quiserem, mas que uma mulher precisa de fazer compras, precisa. E que se dane o dinheiro - ele não serve para outra coisa se não para gastar no que precisamos. E nunca sabemos se estamos cá amanhã.