SOBRE GANHAR RAÍZES E PERDER A PACIÊNCIA


Hoje o post aqui no blog é daqueles que me dá especial gozo de fazer porque vem cá de dentro e faz-me fervilhar o sangue - noutras palavras, é mais um "thoughts & chronicles" porque o blog é meu, é pessoal e nesta minha vida só me aparecem "duques". Enfim, vamos a isto que não devo ser a única a passar por estas coisas e vocês merecem rir-se um bocadinho, ou não, destes meus azares. E preparem umas pipocas, que a história é longa.

Hoje é 4ª feira, certo? Certo. E 4ª feira é dia de Consulta de Atendimento Jovem no Centro de Saúde X em Coimbra, certo? Certo. E a Consulta é das 14h às 18h, certo? Certo. Se a consulta começa às 14h é suposto os médicos entrarem ao serviço a essa mesma hora, certo? Certo. Pois. É certo é certo mas de certo não tem nada.

Eram 13h45, mais coisa menos coisa, quando me sentei na cadeira da sala de espera já com a senha número UM na mão. Esperei, esperei, esperei e largos minutos depois fui atendida para triagem.

Trabalho das 9h às 18h e, como tal, a possibilidade de ir à consulta durante a tarde é nula. No entanto, como qualquer trabalhador, tenho direito à minha hora de almoço e nela sou livre de fazer o que bem entender. Pois bem. Hoje decidi que tinha de ir à Consulta - precisava de umas credenciais e de outras coisas mais e o Centro de Saúde não serve para outra coisa senão para atender utentes. Peguei no carro, fiz quase 10km, cheguei ao Centro de Saúde, estacionei bem na frente da porta e lá fui eu, a caminhar rapidamente e a passos largos para ser a primeira a chegar. Eram 13h45, mais coisa menos coisa, quando me sentei na cadeira da sala de espera já com a senha número UM na mão. Esperei, esperei, esperei e largos minutos depois fui atendida para triagem. Saca do meu nome, saca da minha idade, e se uso contraceptivos, e o que é que tinha ido ali fazer, e que ai e tal "nem pareces ter 22 anos, dava-te 16". Tudo muito bonito e ao fim de quinze minutos dentro do gabinete "agora espera um bocadinho lá fora se faz favor, está bem?"; "Ok".

Eram 14h35 quando voltei a pousar-me sobre as cadeiras da sala de espera. Esperei, esperei, esperei e vejam só, que espanto! Nunca mais fui atendida. A minha hora de almoço era das 14h às 15h e de repente eram 15h30 e eu ali, especada a olhar para as paredes há uma hora, à espera que alguém me chamasse para falar com a médica. Mas nada.

Observei quão incríveis se sentiam os enfermeiros ao se pavonearem e passearem as batas novas pelos corredores com os seus livros debaixo do braço, mão no bolso e passo lento enquanto eu esperava há uma hora para ser atendida numa consulta que só existe uma vez por semana das 14h às 18h - quando existe!

Eu suspirei, eu barafustei, suspirei novamente, maldisse tal incumprimento de regras, voltei a suspirar, dei umas voltas pelos corredores, observei quão incríveis se sentiam os enfermeiros ao se pavonearem e passearem as batas novas pelos corredores com os seus livros debaixo do braço, mão no bolso e passo lento enquanto eu esperava há uma hora para ser atendida numa consulta que só existe uma vez por semana das 14h às 18h - quando existe! -, suspirei uma terceira vez, consegui ler um placar inteiro com todo um historial de um moço de quinze anos que apanhou herpes genital por conta de uma relação sexual desprotegida que tinha acontecido cinco semanas antes, suspirei mais fundo, pensei no que estaria eu ali a fazer e entretanto tinha tido tempo para bordar um quadro a ponto cruz enquanto a médica não chegava. E não chegou. Simplesmente não chegou.

Fartei-me, peguei nas minhas coisas e fui-me embora porque infelizmente neste país se é preciso ir ao médico tem de se ir a morrer ou nada feito. Só que não é isso que é suposto acontecer! Porque hoje era 4ª-feira, tal como foi 4ª-feira a 27 de Dezembro, e hoje era suposto ter sido atendida em condições, por médicos que entram a horas e que são minimamente eficientes no que fazem. Tal como devia ter sido atendida a 27 de Dezembro quando me dirigi exatamente ao mesmo sítio com necessidades igualmente importantes. Mas nesse dia a coisa não foi como hoje, não. Nesse dia só esperei uma hora. E depois de ter ganho raízes ali sentada a senhora da limpeza disse-me que não havia consultas porque os médicos daquele módulo estavam de férias. Surpresa das surpresas: 320943089587 pessoas passaram por mim, inclusivamente médicos e enfermeiros e ninguém foi capaz de me avisar. Uau... 

Pensem só: estarem 1h30 num centro de saúde para dizerem a uma médica, literalmente, "precisava que me passasse a credencial X e a credencial Y, por favor" e sairem de lá, ao fim de todo esse tempo, de mãos a abanar, com uma hora de trabalho perdida e com coisas para entregar até ao fim do dia.

E hoje, depois de ter sido literalmente abandonada na sala de espera do "meu" centro de saúde, voltei para o meu posto de trabalho com os nervos à flor da pele e a minha ansiedade a fazer-me as lágrimas caírem-me do canto dos olhos. E isto parece pequenino e pouco relevante para ser tema de publicação aqui pelo blog mas não é! Pensem só: estarem 1h30 num centro de saúde para dizerem a uma médica, literalmente, "precisava que me passasse a credencial X e a credencial Y, por favor" e sairem de lá, ao fim de todo esse tempo, de mãos a abanar, com uma hora de trabalho perdida e com coisas para entregar até ao fim do dia. Conseguem perceber o grau de importância? Será que num centro de saúde tão grande e com tanto andarilho de bata branca a passear pelos corredores nenhum conseguia passar-me a porcaria das credenciais ou, pelo menos, dizer-me "olhe, desculpe. a médica está atrasada/ligou a avisar que não vem/tirou férias/foi aos saldos/está na casa de banho/ewkfneriojvfnrveor". Era assim tão complicado?

Mas pronto, para a próxima já sei. Dói-me a coluna? Vou à urgência do hospital. Estou constipada? Vou à urgência do hospital. Preciso de marcar uma consulta? Vou à urgência do hospital. Ao menos lá, mal ou bem, cedo ou tarde, quinze minutos ou três horas depois sou atendida. Já ali... Bem lá podia passar a tarde inteira e quando chegasse às 18h ainda vinham ter comigo a dizer "desculpe, já não estamos a atender mais utentes". É para isto que existe o Serviço Nacional de Saúde - ou o que quer que tenha a ver com estas porcarias???

Médicos e enfermeiros que estão desse lado. Ponham o olho nisto e não repitam. A sério. Juro que não é assim que se faz.

photo via pexels

16 comentários

  1. Seriamente tenho pena que cada vez mais esteja acontecer isso nos centros de saúde e nos hospitais e uma negligência médica ao mais alto nível que é mesmo assim por causa disso a muitas pessoas a irem para casa sem saberem o que tem e depois quando vem a descobrir e um cancro ou algo do género ou então mesmo dar três AVC’s a pessoa e mandarem na para casa assim mesmo ! E pena e triste mas é o que temos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Completamente! Ando desde Julho com dores de cabeça insuportáveis, parecem-me ser enxaquecas (coisa que nunca tive). Já por duas vezes que lá vou para falar do assunto e das duas vezes não sou atendida. E se fosse o início de um tumor na cabeça? Nunca se sabe!! É deixar andar para crescer e diminuir as hipóteses de cura? Se forem mesmo enxaquecas, é deixar a pessoa sofrer até ficar incapacitada? É que há dias em que mal consigo pensar! É ridículo mas é o que temos...

      Eliminar
  2. Como eu te compreendo!! O sistema nacional de saude em portugal é mesmo muito triste!!!

    Gosto imenso do teu blog e do teu canal
    Beijinhoos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Demais! Já não há pachorra... E para uma hipocondríaca, como eu, sentir dor/desconforto, ir ao médico e não ser atendida é uma facada!

      Eliminar
  3. Eu na passada semana também fui ao centro de saúde, era a 3ª na fila de espera e esperei 1:45h para ser atendida!

    http://voltaemeiaa.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Apesar de não ser suposto acontecer, se eu fosse a terceira até me aguentava 1h45 porque não sabia ao certo o que as primeiras duas pessoas estariam a fazer, então tentaria compreender. Mas sendo a primeira, esperar 1h30 e sair sem nada é o cúmulo! Tudo porque os médicos não entram a horas ao serviço!

      Eliminar
  4. O sistema de saúde vai mesmo de mal a pior...
    Qual quer que seja a consulta a que vou, não espero menos de meia hora para ser atendida, mesmo quando eu era suposto ser a primeira consulta do dia! Anda uma pessoa a levantar-se às 7h para nada.
    Beijinhos
    littlewonderlandxo.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É que é mesmo! Eu também era a primeira consulta do dia, fui para lá perder tempo, gastar gasóleo, faltar ao trabalho para absolutamente nada! É muito frustrante!

      Eliminar
  5. Como eu te entendo! Ainda há pouco tempo estive à espera 2h e 30 min. para falar com um médico, conversa que durou 2 min. .... É absolutamente ridículo.
    Mas como assim na triagem não te avisaram? Se não há médicos eles deveriam saber.

    Beijinho e muita paciência!
    priceless-ambition.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É ridículo não é? Mas foi mesmo o que aconteceu...
      Enfim!

      Eliminar
  6. Eu digo-te uma coisa, quando morava em Almada, era para esquecer. Eu chegava a estar duas horas para me atenderem, com consulta marcada! Era ridículo. Aqui nos Açores, não me posso queixar. Funciona tudo muito bem mesmo...

    THE PINK ELEPHANT SHOE // Ganha um cabaz de novidades da Nyx!

    ResponderEliminar
  7. O nosso sistema nacional de saúde é mesmo uma miséria, como eu te entendo.
    Beijinhos
    http://virginiaferreira91.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  8. Eu sei bem o que isso é!! No ano passado ( e vou contar uma de mil peripécias como esta), uma pessoa que mal vejo e que mal pode vir ter comigo conseguiu. Nós moramos a cerca de 200km de distância. Calhou eu ter consulta nesse dia mas seria algo rápido, só queria que me receitassem algo para as dores de joelhos que tinha e que já me tinham feito ficar sem andar durante uns dias, a consulta estava MARCADA para as 14h com o meu médicode família..... Eram 20h30 quando entrei no gabinete de uma médica qualquer que eu nunca tinha visto na vida e que não sabia nada sobre o meu historial. Foi stresssante? Foi. Essa minha colega veio ter comigo e nem sair fomos, quando sai do gabinete já estava na hora dela se ir embora.... Infelizmente é assim...

    ResponderEliminar
  9. É tão verdade! Desaconselham sempre ir às urgências porque "existem pessoas com problemas piores", mas quando tentas ir a consultas nunca dão atenção ou atendem a horas. Pior ainda, é como no meu caso que a médica só tem 15 minutos... é antipática... e despacha-me sempre dizendo que não era tão importante assim para marcar consulta! -.-' Enfim... existem médicos bons no meio disto tudo e não gosto de generalizar por causa desses, mas... o sistema de saúde está de mal a pior!
    Beijinho*
    http://www.fine-alchemy.blogspot.com

    ResponderEliminar
  10. r: O sol em Benidorm é muito mais quente, sem dúvida. Eu estava sempre a colocar protector solar e evitei as horas de maior calor. Das 12h às 15h ficava numa esplanada x)

    ResponderEliminar

Obrigada pelos comentários.
Todos serão respondidos, brevemente, nos respetivos blogues.